Casais do Estado do Rio são os que mais se separam entre os brasileiros. O novo retrato dos lares fluminenses revela que a cidade, que tem 88 homens para cada 100 mulheres, é o paraíso dos ‘solteiros’ que já viveram uma união conjugal. O estado tem ainda o maior número de divorciados da Região Sudeste. Em todo o País, eles só perdem para os moradores do Distrito Federal, segundo análise do Censo Demográfico 2010 divulgada ontem pelo IBGE.
Aline (E) e Simone: união estável desde julho, mas juntas há 17 anos | Foto: Álbum de família

Aline (E) e Simone: união estável desde julho, mas juntas há 17 anos | Foto: Álbum de família
As mudanças na última década mostram que muitas famílias cariocas são formadas por casais gays: são 10.170 cônjuges que dividem o teto com companheiro do mesmo sexo (4.877 homens e 5.294 mulheres). Mais da metade dos casais (53,8%) são formados por mulheres, como a secretária Aline Peixoto, 34, e a pedagoga Simone Queiroz, 46 anos. As duas oficializaram a união estável na Justiça em julho deste ano, depois de 17 anos juntas. Simone, que já foi casada e tem dois filhos, planeja subir ao altar novamente, desta vez, na Igreja Cristã Contemporânea.“Acho que os homens são mais duros, enquanto nós nos entregamos mais na relação e assumimos compromisso”, acredita Aline, que sonha adotar uma criança.Elas também fazem parte de parcela da população mostrada pela primeira vez no Censo, a das famílias reconstituídas com filhos de casamentos anteriores, que já são 16% dos casais. O perfil mostra que uniões estáveis subiram de 28,6% em 2000 para 36,4% em 2010. O levantamento revelou que 69,3% dos cônjuges procuram alguém da mesma raça e 68%, mesma escolaridade.De dona de casa a chefe do larNúmero de lares chefiados por mulheres aumentou ao longo da década: de 22,2% (2000) para 37,3% (2010). O Censo revelou que quanto mais instruídas, menor a quantidade de filhos. Mães com nível superior completo têm em média um filho, enquanto as que têm apenas o Ensino Fundamental incompleto, dão à luz três vezes. Também aumentou o número de famílias — 15,8 milhões — em que a responsabilidade pela manutenção dos lares é compartilhada pelos cônjuges.

Cariocas são os campeões da solidão no Sudeste

Cariocas são os mais solitários do Sudeste. De acordo com o Censo, 12,1% dos domicílios têm um só morador. Em 2000, eram 9,2%. Solteiros representam 55,3% da população.

Entre aqueles que decidem entrar para o time dos casados, são os homens que se casam mais tarde, aos 25,9 anos, contra 23 para as mulheres. São eles também que procuram esposas mais novas. Em média, homens com mais de 65 anos se casam quatro vezes mais do que elas.

De acordo com o Censo, existem no País 57 milhões de domicílios. Na maioria deles (42,1 milhões), as famílias moram em imóveis próprios. Apesar da melhora nos rendimentos dos brasileiros, há no Brasil 1,2 milhão de moradia em condições inadequadas, 1,49 milhões de residências sem banheiro, 7,2 milhões sem coleta de lixo e 3,3 milhões sem água canalizada. Em 10 anos, 9,9 milhões de pessoas saíram de seus estados para viver em outro lugar.

POR MARIA LUISA BARROS
Com informações O Dia.